COMO DIMINUIR SEU COLESTEROL SEM DIETA E SEM REMÉDIOS



Quem acompanha nosso blog, já deve ter lido, mas só pra explicar... 

Não somos médicos, nutrólogos, nutricionistas, nem nada relacionado ao tema. 

O que acontece, é que desde que estamos juntos, em todos os hemogramas lá estava a taxa de colesterol total da bonita, sempre nas alturas. 

E o engraçado é que já não consumíamos nada frito, sempre optamos pelos alimentos integrais, e carnes gordurosas não entravam em casa. Era puramente uma tendência genética. 

As taxas dela eram mais ou menos as seguintes (não sei se os parâmetros são os mesmos em todos os lugares):
-Desejável - Abaixo de 200
-Limitrofe - Até 220
-Elevado - Acima de 240

O dela sempre deu acima do elevado. Mas não muito. O último chegou a dar 330.

Neste tempo, passamos por vários médicos, não exatamente para acompanhar isso, e o consenso entre todos era que não estava tão acima a ponto de necessitar de remédios, e ela deveria lutar contra isso apenas com alimentação e exercícios físicos. E alguns ainda arriscavam algumas dicas, como ingestão diária de aveia, berinjela e tal. 

Ah, sim, passamos também por gastros, e nutricionistas.

Estes eram mais rígidos quanto a estas dicas. Já iam pra cartilha mesmo, com as dietas restritivas, e a exigência de exercícios. 

Nada resolveu. 

Não que estas dietas e que exercícios realmente não resolvam, mas ter que seguir um cardápio praticamente fixo, e fazer exercícios não era algo que ela conseguia manter. Até conseguia seguir por alguns dias, mas ai chegava o final de semana, e daí pra frente já desencanava e mandava a dieta pra casa do baralho. 

E sobrepeso também não era problema. Ela sempre foi magra, na casa dos 63 aos 67kg, então estas dietas indicadas APENAS para a redução do colesterol, não apresentavam resultados rápidos e inspiradores, como você ver o seu peso diminuindo. Fazer exames para confirmar a eficácia é uma coisa que leva até meses, então de incentivo não tínhamos praticamente nenhum. 

Aí, num certo dia, ela resolveu buscar a ajuda de um Nutrólogo. E aqui se iniciou nossa salvação. 

Com 6 meses de RA (reeducação alimentar), ela conseguiu atingir o Colesterol Total de 197!!! Ou seja, abaixo do desejável!

Há aqueles que dizem que dieta e RA são a mesma coisa, e há aqueles que entendem a diferença. Mas mesmo assim, o sentido da RA é muito amplo. E pra ela precisava ser algo mais específico. 

Basicamente, a diferença entre eles, é que dieta, é composta por etapas, metas, e prazos, com inicio, meio e fim. Já a RA não, ela é pra vida toda. Claro, que no caso da namorida, com pequenos ajustes ao longo do caminho.

E onde está o milagre que ela não havia encontrado em outras RA? 

Aqui chegamos aos pontos de ouro!

Pra começar, o sujeito pediu alguns exames, e com eles em mãos, pegou uma folha de sulfite com um Xerox de uma RA completa. Tudo o que uma pessoa comum pode comer, e seus horários. Mas nada de cardápio. Eram apenas os grupos de alimentos, e em cima disso, você estava liberado para comer o que estava afim. 

Aí veio aquela decepção de debutante apaixonada, tipo: "Ah você diz isso pra todas!".

Mas em cima disso, ele veio como um guarda de trânsito, com uma caneta riscando vários itens. 

Entre eles, algumas surpresas que com o tempo, descobrimos que eram os grandes vilões do problema dela. Tais como: Leite bovino e seus derivados (mesmo desnatado), e proteína animal (carnes) com exceção do peixe e do ovo. Ah, e também o adoçante. 

Bom, as carnes e o leite, dá até pra deduzir, apesar de surpreendente no caso do leite desnatado. Mas e o adoçante? Bem, segundo ele, é proibido, e no lugar dele, utilizara açúcar mascavo. O adoçante não engorda, mas aumenta a retenção de gordura. Quem diria!!!???

3 meses de acompanhamento passados, e ele perguntou a ela como estava seguindo as indicações, e quais eram suas "escapolidas". Ela confessou que sentia falta do frango. 

De fato, peito de frango era tão tradicional como arroz e feijão lá em casa. Ela adorava!

E ele então, disse que iria liberar que ela comesse carnes 1 vez por semana, mas que o bendito frango estava proibido. Que comece vaca, e porco, além do peixe, mas que jamais o frango. Nem mesmo o peito!

Buscando mais informações, o que acontece é que o frango, além de contar com aqueles hormônios de crescimento que todos já sabem que têm, e fazem mal para nós, o frango ainda tem a gordura de pior densidade em nosso organismo. A mais difícil de se dissolver e ser eliminada, ou queimada. 

Mais 3 meses se passaram, 6 no total, e agora é que chegamos a aquele numero que eu falei. 197, menos que o desejável nos parâmetros do laboratório!

Tem também aquela contagem de HDL, que é o colesterol bom. Este nunca foi problema também, e seu nivel sempre esteve além do desejável. 

Resumindo... 

Restringir a proteína animal e escapar apenas 1 vez na semana (menos frango!). 
Cortar o adoçante, e preferir o açúcar mascavo.
Comer de 3 em 3 horas. 
Nas refeições (lanche) da tarde e noite, frutas sempre cítricas. 
Carboidratos integrais no almoço a vontade, sem limites, mas a noite, proibido.
Cereais diversificados e castanhas a vontade. 

Este foi o milagre!

O resultado têm sido tão legal, que até aquelas 3x de exercício por semana ela tem feito. Não ama! Mas faz. Está até tentando me acompanhar na corrida!

Neste período, contamos também com a ajuda de uma nutricionista, medindo outros parâmetros físicos como peso, diâmetros e índices corporais diversos. A cada 15 dias. Nos primeiros, não fomos tão bem, mas nos últimos, sucesso!

Se alguém ficou curioso e quiser saber mais detalhes, ou a indicação dos profissionais, deixem um comentário que eu repasso com o maior prazer!


Fica a dica:

Este post é apenas um case de sucesso, com algumas curiosidades, e não deve ser seguido como parâmetro para todos com, ou sem problemas. Procure sempre um profissional! Mas fique por dentro e discuta com eles estas informações! ;)


1 comentários :

  1. É isso aííí!! Finalmente consegui abaixar o colesterol!!! :D

    ResponderExcluir

Scroll to top